Irã apresenta queixa à ONU contra ameaças de Israel de seqüestrar Ahmadinejad

Teerã, 10 set (EFE).- As autoridades iranianas apresentaram hoje uma queixa à ONU em protesto pelas recentes ameaças israelenses de seqüestrar o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, informou hoje a agência oficial de notícias Irna.

EFE |

O embaixador iraniano nas Nações Unidas, Mohammad Khazaee, transmitiu a queixa em carta enviada ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e ao presidente do Conselho de Segurança, Michel Kafando.

Em sua mensagem, Khazaee protesta contra as declarações do ministro da Previdência israelense, Rafi Eitan, nas quais afirma que o seqüestro de Ahmadinejad é uma opção "aceitável" para o Estado judeu.

Khazaee condenou na carta a "continuação das ameaças" da "entidade sionista" contra o país e contra as autoridades iranianas, sem que haja "nenhum tipo de reação por parte da ONU".

O representante iraniano na ONU também considera que as ameaças de Eitan - ex-chefe do Mossad (serviço secreto israelense) - violam as leis e o direito internacional.

Além disso, Khazaee instou o Conselho de Segurança da ONU a adotar medidas necessárias perante estas ameaças.

Segundo Khazaee, Eitan expressou estas ameaças em entrevista recente a uma revista alemã em resposta a uma pergunta sobre se o seqüestro do presidente iraniano seria aceitável para o Estado judeu.

No entanto, Khazaee não faz menção ao seqüestro, no dia 4 de novembro de 1979, de 52 funcionários americanos por um grupo de estudantes iranianos que ocuparam a Embaixada dos Estados Unidos em Teerã.

Os reféns, que ficaram em poder dos seqüestradores por 444 dias, reconheceram depois Ahmadinejad como o líder dos seqüestradores.

Depois da decisão de realizar uma operação de resgate planejada pelo então presidente dos EUA, Jimmy Carter, os reféns foram libertados no dia 20 de janeiro de 1981 pela República Islâmica. EFE hh/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG