Teerã, 15 abr (EFE).- A marinha iraniana incorporou à sua frota um novo navio destróier, dotado com um avançado sistema de mísseis teleguiados, anunciou hoje o almirante Habibollah Sayari, comandante da tropa.

Em declarações divulgadas pela imprensa local, o oficial afirmou que o primeiro destróier integralmente fabricado no Irã, batizado com o nome de Jamaram -mesmo da rua onde vivia o aiatolá Khomeini (1902-1989)- é um dos maiores avanços das Forças Armadas iranianas.

Quase não se conhecem dados sobre a capacidade e o sistema de defesa e ataque desse navio, mas se acredita que ele esteja dotado com baterias de canhões antiaéreos e mísseis antissubmarinos e de defesa contra foguetes de superfície.

Há dois anos, quando foi anunciada sua construção, o comandante Dariush Ebrahimneyad afirmou que ele seria um dos navios mais modernos do mundo, com todos os avanços da tecnologia.

A comunidade internacional, com os Estados Unidos à cabeça, impôs um forte embargo de armas a Teerã, a partir de 1979, quando a Revolução Islâmica derrubou a monarquia do Xá Mohamad Reza Pahlevi.

No entanto, em 1992 o Irã iniciou seu próprio programa de desenvolvimento militar nacional, construindo armas de grande potência, como mísseis de longo alcance, capazes de atingir alvos a mais de 2 mil quilômetros de distância.

A nova aquisição bélica foi anunciada três dias antes de o país celebrar, com um grande desfile aéreo, o dia das Forças Armadas, e em meio de recorrentes rumores sobre um possível ataque israelense contra as instalações nucleares iranianas. EFE jm/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.