Irã anuncia teste de míssil Qiam

Anúncio ocorre um dia antes de início de operações de usina de Bushehr e no dia em que líder do Irã reitera disposição ao diálogo

iG São Paulo |

O Ministério da Defesa do Irã disse nesta sexta-feira que as forças militares do país testaram com sucesso um míssil com sistemas de direção avançados para atingir alvos terrestres. O general Ahmad Vahidi, porém, não informou quando ou onde o teste foi realizado.

AP
Foto divulgada em 20/08/2010 mostra teste de míssil terra-terra Qiam-1 feito pelas forças armadas do Irã
Os comentários de Vahidi foram feitos um dia antes do início das operações do reator nuclear da usina iraniana de energia de Bushehr , que começará a receber combustível no sábado, e poderão causar temores no Ocidente sobre o avanço do arsenal de mísseis do país, que já têm alcance até Israel e a outras partes da região. As dezenas de mísseis do Irã tem médio alcance (2 mil km).

Vahidi disse na Universidade de Teerã que o míssil terra-terra - chamado de Qiam-1 - tem um aprimorado sistema de alvo mais preciso. "O míssil tem aspectos técnicos novos e capacidade técnica única", disse o ministro. "Por não ter asas, o míssil terra-terra tem grande poder tático, que reduz as chances de interceptação", destacou Vahidi.

Seu discurso foi transmitido ao vivo na rádio estatal. Ele não ofereceu mais detalhes. A televisão estatal exibiu imagens do lançamento do míssil em uma zona de deserto.

Negociações

O anúncio do teste do míssil foi feito no mesmo dia em que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, reiterou estar pronto para retomar as conversações com as potências mundiais sobre um plano para a troca de material nuclear por combustível para suas usinas atômicas. A declaração foi feita a um jornal japonês, que publicou nesta sexta-feira uma entrevista com Ahmadinejad.

Segundo o Yomiuri Shimbun, Ahmadinejad declarou que está aberto para reiniciar as negociações com os membros do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha, no fim de agosto ou início de setembro.

A afirmação de Ahmadinejad contradiz a feita na quarta-feira pelo líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei , que disse que o Irã não manteria conversações com os EUA sobre seu programa nuclear se as sanções e ameaças militares não forem retiradas.

O Irã se reuniu pela última vez com EUA, Grã-Bretanha, China, França, Alemanha e Rússia em outubro, quando discutiu o envio de urânio iraniano de baixo enriquecimento para o exterior em troca de combustível para um reator do país, para produção de material de uso médico.

*Com AP, AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: irãprograma nuclearmíssilmahmoud ahmadinejadIsrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG