Irã anuncia que pode fabricar seu próprio combustível nuclear

Chefe do programa nuclear anunciou que construção de instalações para produzir placas e barras de combustível foi finalizada

AFP |

O chefe interino da diplomacia e do programa nuclear iranianos, Ali Akbar Salehi, afirmou neste sábado que seu país é capaz de fabricar as próprias placas e barras de combustível nuclear, tecnologia que, para o Ocidente, ainda não era dominada por Teerã. Salehi, rosto conhecido do polêmico programa nuclear iraniano, anunciou que a construção de instalações para produzir placas e barras de combustível, necessárias para alimentar os reatores nucleares, foi concluída.

"Construímos na fábrica (nuclear) de Isfahan uma avançada unidade para fabricar placas de combustível", disse Salehi à agência de notícias iraniana Fars. "Uma grande transformação ocorreu na produção de placas e barras (nucleares). Ao finalizar esta unidade em Isfahan, o Irã se tornou um dos poucos países que pode fabricar placas e barras de combustível" nuclear, explicou.

Salehi disse ainda que as políticas do Ocidente estimularam a República Islâmica a melhorar o nível de sua tecnologia atômica, incluindo a produção de combustível nuclear. "Foi por causa das ações do Ocidente que chegamos a este ponto", denunciou Salehi, que acumula também os cargos de ministro das Relações Exteriores e vice-presidente.

"O que dizemos é baseado na realidade e na verdade. Não há exagero ou mentira em nosso trabalho. São eles que não querem acreditar que o Irã tem apenas a intenção de obter tecnologia nuclear para fins pacíficos".

A comunidade ocidental suspeita que o programa nuclear iraniano tenha como objetivo produzir armas atômicas, acusação negada por Teerã. Em fevereiro de 2010, o Irã começou a produzir urânio enriquecido a 20%, com a intenção de utilizar o material como combustível para alimentar o reator.

As potências ocidentais, no entanto, insistiam que o país não dominava a tecnologia necessária para produzir as barras e placas de combustível. Salehi disse à Fars que o Irã já produziu quase 40 quilos de urânio enriquecido a 20%, apesar dos apelos do Ocidente para que Teerã suspenda a operação de suas centrífugas.

"Temos quase 40 quilos de urânio a 20%", declarou na entrevista, concedida exclusivamente para a iraniana Fars.Por fim, Salehi revelou que os trabalhos de construção de uma segunda usina de enriquecimento de urânio na cidade de Fordo, no sudoeste do país, estão avançando.

"Felizmente, as obras em Fordo esrtão progredindo bem", indicou, sem dar mais detalhes. Atualmente, a maior parte das atividades de enriquecimento de urânio iranianas ocorrem na usina de Natanz, no centro.

Na sexta-feira, uma porta-voz da chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, informou à AFP que as negociações entre as potências mundiais e o Irã a respeito de seu programa nuclear devem ser finalmente retomadas no dia 20 de janeiro em Istambul."Estamos olhando para uma data experimental", disse Maja Kocijancic.

"Tivemos um retorno positivo do Irã".A última rodada de discussões entre Teerã e o grupo 5+1 (Reino Unido, China, França, Rússia, Estados Unidos e Alemanha), presidida por Ashton, ocorreram em Genebra entre os dias 6 e 7 de dezembro, após 14 meses de interrupção.

    Leia tudo sobre: Irãnuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG