Irã anuncia exercícios militares no Estreito de Ormuz

Segundo autoridade, manobras navais no estratégico estreito acontecerão em fevereiro e serão diferentes dos exercícios anteriores

iG São Paulo |

O Irã anunciou nesta sexta-feira que tem planos para realizar exercícios navais no estratégico Estreito de Ormuz no próximo mês, segundo um comandante militar.

Crise:
- Para EUA, sanções 'começam a incomodar' Irã

- Irã ameaça agir se porta-aviões dos EUA voltar ao Golfo Pérsico
- Marinha iraniana testa míssil de longo alcance com sucesso, diz TV

AP
Em imagem divulgada pela agência de notícias do Irã, navio da Marinha iraniana lança um míssil durante treino no mar de Omã (1/1/2012)

O contra-almirante Ali Fadavi, comandante naval da Guarda Revolucionária Iraniana, disse que as manobras no Golfo Pérsico e no Estreito de Ormuz em fevereiro seriam diferentes dos exercícios anteriores , mas não deu mais detalhes, segundo comentários divulgados pela agência semioficial de notícias Fars.

"Hoje a República Islâmica do Irã tem o domínio total da região e controla todos os movimentos dentro dela", afirmou.

Cerca de um quinto de todo o petróleo utilizado no mundo é transportado no Estreito de Ormuz. O Irã chegou a ameaçar, na semana passada, que fecharia o estreito , caso o Ocidente adotasse mais sanções econômicas contra o país persa, deixando o mercado petrolífero tenso.

Depois de ter feito a ameaça, o governo iraniano voltou atrás . Um alto oficial da Marinha, almirante Mahmoud Mousavi, afirmou que o país não pretende fechar a importante rota marítima que vai do Golfo Pérsico para os países ocidentais.

Porém, na terça-feira, o Irã afirmou que tomaria alguma medida se a Marinha dos EUA transportasse um porta-aviões para o Golfo. O Departamento de Estado norte-americano, no mesmo dia, disse que as constantes ameaças do país persa eram uma prova de que as sanções econômicas adotadas começavam a incomodar .

O Irã realizou um exercício de 10 dias que terminou na segunda-feira no estreito. Oficiais militares afirmaram que o objetivo era mostrar o talento do Irã e sua capacidade de defesa.

Os exercícios, que incluem testes de mísseis , foram realizados em meio às críticas internacionais sobre o programa nuclear iraniano. O Ocidente acredita que o programa do país tem intenção de desenvolver armamentos nucleares, o que Teerã nega.

Recentemente os Estados Unidos endureceram as sanções contra o Irã, proibindo transações com o Banco Central do país. A crise quanto à suposta intenção militar do programa nuclear iraniano piorou quando a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) divulgou um relatório no qual afirmara, pela primeira vez, que o país trabalha para obter armas nucleares.

O Conselho de Segurança da ONU já aprovou quatro rodadas de sanções contra o Irã por se recusar em suspender o enriquecimento de urânio.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: irãestreito de ormuzpetróleosançõescriseenergiaarmas nucleares

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG