Irã anuncia avanços com novas centrífugas e combustível próprio

Em desafio a Ocidente, Teerã diz ter novas centrífugas em Natanz e ter produzido barras de combustível para reator nuclear

iG São Paulo |

O Irã começou nesta quarta-feira a colocar barras de combustíveis produzidas pelo próprio país dentro de seu reator de pesquisa de Teerã e a usar novas centrífugas avançadas em Natanz, sua principal instalação de enriquecimento de urânio, no centro do país, em desafio ao aumento das sanções ocidentais contra seu controverso programa nuclear.

Saiba mais: Irã adverte seis países europeus de que cortará envio de petróleo

"Se trata em particular da produção de barras de combustível nuclear a 20% e da quarta geração de centrífugas, mais rápidas, que ocupam menos espaço e são fabricadas com fibra de carbono", destacou a emissora estatal. "Todas as centrífugas foram fabricadas pelos engenheiros iranianos", segundo o canal.

Em uma mostra adicional de resistência à pressão internacional, a mídia estatal informou que o Irã estava adotando passos para cortar as exportações de petróleo em resposta ao embargo imposto pelo bloco europeu às importações do produto do país persa a partir de julho.

Ameaça: Irã diz que guerra prejudicaria EUA e chama Israel de 'câncer'

De acordo com a agência semioficial Mehr, citada pela Associated Press, o Irã suspendeu as exportações para a França e a Holanda e deu um ultimato à Itália, Espanha, Portugal e Grécia – os quatro últimos gravemente afetados pela crise econômica – para que assinem contratos de longo prazo com o país persa se não quiserem sofrer cortes no produto.

O jornal New York Times, no entanto, disse que os seis países apenas foram alertados de que podem sofrer cortes. Previamente, a estatal Press TV anunciou que as exportações seriam cortadas imediatamente para os seis países. A contradição nas informações não pôde ser resolvida imediatamente.

Os avanços nucleares foram anunciados em meio a um aumento de tensão com o Israel e o Ocidente, que suspeitam que o programa atômico da República Islâmica tem fins militares e objetiva fabricar uma bomba nuclear. Teerã nega a acusação, afirmando ter apenas objetivos civis, como a produção de energia. O reator de Teerã, por exemplo, produz isótopos nucleares para o tratamento de pacientes com câncer.

De acordo com a agência de notícias oficial Irna, o presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, inseriu a primeira barra produzida no país dentro do reator no norte de Teerã, enquanto a TV estatal transmitiu imagens ao vivo da cerimônia em que especialistas nucleares passaram informações sobre o processo ao líder iraniano.

O Irã referiu-se aos processos como um passo adicional nos esforços do país em dominar o ciclo completo de combustível nuclear apesar das penalidades do Ocidente e das sanções da ONU.

O Irã afirmou ter sido obrigado a produzir suas próprias barras de combustível nuclear, que fornecem combustível para reatores, desde que sanções internacionais o impediram de comprá-las nos mercados externos. Em janeiro, o país anunciou que havia produzido a primeira delas.

*Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: irãprograma nuclearahmadinejadaieaueeuasanções

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG