Irã ameaça tomar mais medidas contra a imprensa britânica

Teerã, 21 jun (EFE).- O Ministério de Guia e Orientação Islâmica do Irã ameaçou tomar mais medidas contra a imprensa britânica se as interferências nos assuntos do país continuarem.

EFE |

"Caso os diferentes meios de comunicação britânicos prossigam com sua interferência, suas informações inexatas ou seu desrespeito à ética internacional do jornalismo, haverá medidas de outro tipo", afirmou o ministro Mohammad Hussein Safar Harandi.

A advertência, divulgada pela agência de notícias local "Fars", foi feita pouco depois de as autoridades iranianas terem mandado o correspondente da "BBC" John Leyne deixar o Irã no prazo de 24 horas "por incitar os distúrbios" com suas informações.

Os únicos veículos britânicos que ainda têm correspondentes no Irã são o jornal "Financial Times" e a agência "Reuters".

Procurado pela Agência Efe, o Ministério de Guia e Orientação Islâmica guardou silêncio sobre a situação dos jornalistas de outros países que ainda estão na República Islâmica.

Desde terça-feira, os correspondentes estrangeiros que ainda se encontram no país estão proibidos para cobrir os distúrbios e protestos que agitam as ruas. EFE jm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG