Irã ameaça Museu Britânico por adiar empréstimo de peça arqueológica

Londres, 21 jan (EFE).- O Governo iraniano ameaçou cortar as relações culturais com o Museu Britânico depois que a instituição adiou o prometido empréstimo a Teerã de uma importante peça arqueológica procedente da antiga Pérsia: o chamado Cilindro de Ciro.

EFE |

O Museu Britânico tinha prometido emprestar o artefato ao Irã depois que museus iranianos cederam várias peças importantes para a exposição que essa instituição cultural britânica dedicou no ano passado ao Xá Abbas, antigo imperador persa.

O empréstimo deveria ter ocorrido neste mês. No entanto, segundo o jornal "Financial Times", o adiamento foi motivado pela descoberta em uma gaveta do museu de dois pequenos fragmentos de um objeto de barro com inscrições, que poderiam esclarecer certos aspectos relacionados ao cilindro do Rei Ciro, o Grande.

O museu afirma agora que o cilindro deve permanecer em Londres para ajudar os especialistas a decifrarem o significado dessas inscrições, o que não foi bem visto pelo Governo de Teerã.

Segundo a agência "Fars", o vice-presidente do país Hamid Baghaei, que está à frente do patrimônio cultural, ameaçou "cortar as relações culturais com o museu" se "caso a instituição se limite pedir desculpas" para não emprestar ao Irã o Cilindro de Ciro.

Os iranianos suspeitam que o atraso possa ser motivado pelos protestos civis após as eleições presidenciais iranianas de junho do ano passado, que deixou vários mortos e prendeu milhares de manifestantes.

Teerã acusou reiteradamente Londres de intervir nos assuntos internos iranianos e de apoiar o movimento opositor ao atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad.

O Museu Britânico insiste, no entanto, que fará o empréstimo: "A planejada exposição do Cilindro de Ciro no Museu Nacional de Teerã parece ser o lugar ideal onde apresentar os fragmentos agora descobertos junto ao próprio cilindro", disse o museu em comunicado.

No entanto, acrescentou que esses textos devem ser "estudados adequadamente em Londres". O Museu Britânico também convidou especialistas iranianos a um seminário internacional para discutir o assunto.

O Cilindro de Ciro foi descrito como a "primeira declaração de direitos humanos" da humanidade. Foi redigido em escrita cuneiforme após Ciro, o Grande, conquistar a Babilônia no ano 539 a.C. EFE jr/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG