Irã ameaça eliminar Israel do cenário mundial em caso de ataque

O Irã eliminará Israel do cenário mundial se for atacado pelo Estado hebreu, afirmou o general Mohammad Reza Ashtiani, comandante adjunto do Exército iraniano, em resposta a declarações de um ministro israelense que, na semana passada, ameaçou destruir a República Islâmica em caso de agressão.

AFP |

"As manobras israelenses não nos preocupam, mas se Israel realizar um ação contra a República Islâmica do Irã, o eliminaremos do cenário mundial", declarou o general Ashtiani em uma entrevista coletiva às vésperas do Dia Nacional do Exército, em 17 de abril.

O general Ashtiani fazia referência ao exercício de defesa civil que Israel realizou na semana passada para preparar sua população a um eventual ataque com armas convencionais ou mísseis armados com ogivas químicas e bacteriológicas.

O ministro israelense da Infra-Estrutura Nacional, Benjamin Ben-Eliezer, advertiu há uma semana que um ataque do Irã contra Israel "provocaria a destruição da nação iraniana".

"O Irã não se apressará em nos atacar porque entende o significado de tal ato. Um ataque iraniano contra Israel desataria uma resposta dura que provocaria a destruição da nação iraniana", afirmou Ben Eliezer, membro do gabinete de segurança.

O ministro fez a declaração em uma reunião da pasta da Infra-Estrutura organizada durante o maior exercício de defesa passiva da história de Israel.

Israel afirma que o Irã representa uma ameaça para a existência do Estado hebreu, assim como para os países ocidentais, por seu programa nuclear e balístico.

Teerã alega que seu programa nuclear tem objetivos exclusivamente civis.

Única potência nuclear do Oriente Médio, Israel acusa o Irã, cujo presidente Mahmud Ahmadinejad já falou abertamente de "apagar o Estado hebreu do mapa", de querer possuir armas atômicas usando como pretexto um programa de energia nuclear civil.

Teerã desemente as acusações e se nega a suspender o programa de enriquecimento de urânio, apesar de três séries de sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O Irã não reconhece a existência de Israel e apóia os grupos islamitas palestinos e libanês.

Segundo um relatório confidencial publicado em 24 de março pelo jornal israelense Yediot Aharonot, uma chuva de mísseis disparados pelo Hezbollah xiita libanês e pelo Irã cairia em Tel Aviv e arredores em caso de uma hipotética guerra com Israel.

O Exército iraniano organizará na quinta-feira um desfile militar no qual participarão 200 aviões e helicópteros de combate, que sobrevoarão a capital iraniana, anunciou ainda o general Ashtiani.

O Irã tem mísseis balísticos Shahab-3, com alcance aproximado de 2.000 km, capazes de alcançar o território israelense, mas sua aviação se encontra em estado crítico, como demonstrou o acidente com um avião militar que, na véspera, caiu no aeroporto de Mehrabad, perto de Teerã.

sgh-sjw/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG