Segundo porta-voz do ministério das Relações Exteriores, falta apenas estabelecer o local da troca

O Irã informou neste sábado que houve um acordo sobre a quantidade e o momento da troca de urânio ligeiramente enriquecido por combustível nuclear a 20%, e se mostrou disposto a discutir sobre o lugar onde a transação seria realizada, segundo emissoras de televisão.

A declaração foi divulgada horas antes da chegada a Teerã do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tentará chegar a uma solução diplomática para a crise nuclear iraniana.

"Há um entendimento sobre o momento e a quantidade de combustível a trocar. Falta um acordo sobre o lugar (da troca). O Irã está disposto a discutir sobre esse ponto, caso existam garantias concretas", declarou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Ramin Mehmanparast, à emissora iraniana Al Alam.

Ele assegurou também que receberá o combustível necessário para seu reator de pesquisas de Teerã, mas não informou como o país chegou a esse acordo.

O enriquecimento de urânio é tema central das diferenças entre Irã e grandes potências, que temem que o país esteja buscando armas nucleares, o que é negado por Teerã.

As grandes potências propuseram que o Irã envie 70% de seu urânio ligeiramente enriquecido ao exterior para transformá-lo em combustível altamente enriquecido, necessário para seu reator de pesquisas.

Invocando um problema de "confiança", o Irã rejeitou a proposta e disse que prefere uma troca simultânea ou por etapas e em pequenas quantidades em seu território, o que as grandes potências rejeitaram.

A mediação do presidente brasileiro é apresentada pelas grandes potências como a "última chance" antes de eventuais novas sanções da ONU contra o Irã.

Críticas

Lula declarou também que não entende o ceticismo da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, sobre a possibilidade de o Irã mudar sua postura em relação ao seu programa nuclear através do diálogo. Na sexta-feira, Hillary Clinton reafirmou o ceticismo dos Estados Unidos quanto às chances de sucesso no diálogo com o o Irã.

Perguntando sobre a declaração de Hillary durante uma entrevista coletiva em Doha, o presidente brasileiro respondeu sem citar o nome da secretária de Estado americana. "Eu não sei com base no que as pessoas falam [isso]", disse Lula. "Não é porque o meu time não ganhou o jogo de ontem que ele não pode ganhar o jogo de amanhã", afirmou o presidente na entrevista concedida após o encontro com o emir do Catar, Hamad bin Khalifa Al Thani.

Leia também:

Com Irã, Brasil desafia política externa dos EUA

Vários interesses guiam diplomacia do Brasil no Irã

Lula busca apoio no Catar para possível acordo com Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.