Ataque ao país comprometeria segurança na região do Golfo pois "resposta seria firme", afirma general iraniano

Um alto funcionário militar dos Guardiões da Revolução, exército ideológico do regime iraniano, advertiu Washington neste domingo para uma eventual ação militar contra o Irã, afirmando que ameaçaria a segurança na região do Golfo, indicou a agência Irna.

"Se os Estados Unidos cometerem um erro (atacando o Irã), a segurança da região estará em perigo (...). A segurança da região do Golfo Pérsico cabe a todos ou a ninguém", declarou o general Yadollah Khavani, assessor para assuntos políticos do chefe dos Guardiões da Revolução, segundo a agência de notícias.

"O Golfo Pérsico é uma região estratégica. Se colocarem em perigo a segurança na região, vão deixá-la porque nossa resposta será firme", acrescentou. "Nos defenderemos contra qualquer ação dos Estados Unidos ou de Israel", prosseguiu, afirmando que o Irã "desenvolveu sua capacidade defensiva para reforçar sua força de dissuasão".

A comunidade internacional, liderada por Washington, intensificou recentemente as pressões sobre o Irã, acusado de tentar obter a arma nuclear, alegando ter um programa nuclear civil. Teerã desmente essas acusações.

As declarações de Khavani precederam uma afirmação do chefe do Estado-Maior Conjunto americano, Michael Mullen, que assegurou neste domingo que um plano de ataque dos Estados Unidos contra o Irã está previsto para impedir Teerã se produzir a arma nuclear.

O almirante Mullen acrescentou que está "extremamente preocupado" com as consequências que uma ação militar pode acarretar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.