Irã admite que há 1,2 milhão de dependentes no país

Teerã, 8 mai (EFE).- Autoridades iranianas admitiram hoje que há mais de 1,2 milhão de dependentes químicos no país, e que o consumo de entorpecentes se transformou em um grave problema social.

EFE |

Em entrevista à agência oficial de notícias local "Irna", o diretor do Comitê de Estatísticas Oficiais Sobre Consumo de Droga, Houman Narenjiha, assinalou ainda que a idade média de início do consumo aos 23 anos.

"Segundo as últimas estatísticas do comitê, o número de dependentes chega a 1,2 milhão, com idade média de 32 anos".

O Irã é a principal via de passagem da droga cultivada no Afeganistão e enviada à Europa através das fronteiras com Turquia e as rotas que ligam o país às ricas monarquias do Golfo Pérsico.

Nos últimos meses, Teerã aumentou sua luta contra o tráfico de entorpecentes, e inclusive enviou à conflituosa fronteira com o Afeganistão unidades de elite das forças de segurança para frear o narcotráfico.

Segundo as Forças de Segurança iranianas, em 2008 a Polícia apreendeu aproximadamente três mil toneladas de ópio procedentes do Afeganistão, país considerado o maior produtor de papoula e opiáceos do mundo. EFE jm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG