Irã acusa Israel do assassinato de dirigente palestino no Líbano

Teerã, 24 mar (EFE).- O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Hassan Qashqavi, acusou hoje Israel do atentado que na segunda-feira matou um dirigente da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) no Líbano.

EFE |

Em declarações divulgadas pela imprensa local, o funcionário iraniano denunciou também que Israel tenta há muito tempo dividir os palestinos.

Por isso, pediu que as diversas facções "permaneçam unidas e atentas" para neutralizar a tática israelense e evitar "este tipo de ação terrorista".

O vice-presidente da OLP no Líbano, Kamal Medhat, morreu na segunda-feira devido à explosão de uma bomba escondida em frente a um dos campos de refugiados palestinos na cidade libanesa de Sidon, 40 quilômetros ao sul de Beirute.

Várias organizações palestinas, assim como o grupo xiita libanês Hisbolá, vinculado ao Irã, também acusaram Israel do assassinato de Medhat.

O Líbano acolhe cerca de 400 mil refugiados palestinos, em 12 campos de refugiados distribuídos por todo o país. EFE jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG