Irã aceita inspeções em nova usina nuclear, diz representante europeu

O Irã concordou em cooperar com a agência nuclear da ONU para a realização de inspeções na segunda instalação de enriquecimento de urânio do país, de acordo com o chefe da diplomacia da União Europeia, Javier Solana.

BBC Brasil |


O diplomata europeu afirmou que o governo iraniano vai convidar a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para visitar a usina, perto da cidade de Qom, "nas próximas semanas". Solana fez o anúncio após um encontro com representantes iranianos em Genebra para discutir o programa nuclear do Irã.

Na reunião, representantes de Irã, Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha decidiram realizar uma nova rodada de negociações até o fim de outubro.

"Isso representa o início do que, esperamos, será um processo intensivo", afirmou Solana. "A importância deste encontro foi intensificada pela participação plena, pela primeira vez, dos Estados Unidos."


Diplomatas se reuniram em uma mansão de Genebra / Reuters

Diálogo

O encontro desta quinta-feira reuniu representantes do Irã, dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e da Alemanha para discutir as atividades iranianas de enriquecimento de urânio.

Durante um intervalo na reunião, o subsecretário de Estado americano, William Burns, teve um encontro privado com o principal negociador nuclear iraniano, Saeed Jalili.

O vice-porta-voz do Departamento de Estado americano, Robert Wood, não revelou detalhes sobre as negociações, mas diplomatas americanos descreveram o encontro como "significativo".

Apesar dos desdobramentos da reunião em Genebra, um diplomata ocidental afirmou durante o encontro que a maior parte da sessão da manhã desta quinta-feira foi gasta na reafirmação de posições.

Mais cedo, a emissora de televisão estatal iraniana IRIB afirmou que Jalili usou uma linguagem "clara e inequívoca" durante as discussões iniciais. "A República Islâmica não será dissuadida de maneira nenhuma de seus direitos", teria dito o negociador.

Reuters
Usando máscara com o rosto de Ahmadinejad, homem protesta em frente ao prédio da ONU em Genebra

Usando máscara com o rosto de Ahmadinejad, homem
protesta em frente ao prédio da ONU em Genebra

Jalili também teria dado uma "explicação detalhada" das propostas que o Irã submeteu aos seis países no mês passado e "destacou a necessidade do desarmamento global completo".

Compromisso

O governo americano, por sua vez, afirma que está concentrado na busca por um acordo, e não por novas sanções. No entanto, diplomatas americanos deixam claro que as reuniões com o Irã não podem continuar sem definição por muito tempo.

"Esta é a primeira vez que concordamos em nos reunir com o Irã, como membro atuante das discussões. Queremos nos comprometer com este processo, mas não vamos fazer isso para sempre", afirmou Wood.

Recentemente, a Rússia deu a entender que poderia estar pronta para suavizar sua oposição a mais sanções contra o Irã. A China, que também é membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, afirmou que este tipo de pressão não será eficaz.

O governo iraniano insiste que tem direito de desenvolver energia nuclear, mas a revelação da nova instalação para enriquecimento de urânio, na semana passada, aumentou o temor de que o país poderia tentar desenvolver armas nucleares.

Leia mais sobre programa nuclear

    Leia tudo sobre: irãnuclearonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG