(atualiza com novos dados do acidente aéreo) Nova York, 13 fev (EFE).- Investigadores federais tentarão hoje recuperar as caixas-pretas do avião que sofreu um acidente perto de Buffalo (Nova York) que causou a morte de 50 pessoas, informou Steven Chealander, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB, na sigla em inglês).

Chealander explicou durante uma entrevista coletiva que a agência contará com 14 investigadores no local do acidente para obter evidências que permitam determinar posteriormente as causas desta tragédia aérea.

"O fogo continua sendo muito intenso e ativo", disse o porta-voz, ao mesmo tempo em que acrescentou que isso impediu, por enquanto, que os investigadores comecem a trabalhar para recuperar os equipamentos que gravam as vozes na cabina e os dados de voo.

"Temos investigadores nas imediações tentando conseguir esses equipamentos de gravação. Nossa intenção é recuperá-los e levá-los a Washington para começar sua análise o mais rápido possível", disse Chealander.

Ele explicou também que não tinham sido retirados até esse momento os corpos do local do acidente, à espera que os trabalhos dos legistas terminem.

A Companhia Colgan Air, que operava o voo 3407 da Continental, informou nas últimas horas que um piloto que não estava de serviço viajava também nesse avião, o que aumenta para 50 o total de vítimas fatais, incluindo uma pessoa em terra.

O avião bimotor caiu perto de Clarence, um bairro residencial próximo à cidade de Buffalo, no norte do estado de Nova York, onde tinha previsto aterrissar no final de um trajeto que tinha iniciado no aeroporto de Newark (Nova Jersey).

Chealander ressaltou que não podia ainda responder a questões relacionadas com a identificação das vítimas ou o tempo que vai demorar para se saber seus nomes.

Os meios de imprensa americanos, além disso, informaram que uma das vítimas desta catástrofe aérea é Beverly Eckert, que ficou viúva durante os atentados terroristas do dia 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos.

Beverly, que retornava para casa para festejar o 58º aniversário de seu esposo morto, tinha se transformado em uma ativista em favor da segurança dos americanos e foi recebida na semana passada na Casa Branca pelo presidente Barack Obama, quando reuniu um grupo de familiares de vítimas, para explicar-lhes as mudanças decididas por sua Administração na luta contra o terrorismo.

Uma amiga da vítima disse que Beverly viajava no avião acidentado junto a um parente rumo a Bufalo, o que até agora não foi corroborado pelas autoridades.

"Estamos tentando por enquanto reunir os fatos, os relatos de testemunhas e as gravações para determinar o que aconteceu", ressaltou Chealander.

Ele explicou também que a parte da cauda do aparelho está relativamente intacta e se está tentando recuperá-la.

O porta-voz da NTSB reiterou que os investigadores não podiam se aproximar o suficiente do local do fato e lembrou que houve um incêndio e uma grande explosão. "Podem imaginar que após um acidente como este há muitos restos humanos", disse.

O coordenador dos trabalhos de emergência na localidade de Clarence, David Bisonette, explicou que membros de várias entidades locais e estaduais também trabalham em torno do local do acidente e pediu à imprensa que não tente se aproximar dali por enquanto, para facilitar os trabalhos de assistência.

"Estamos tentando ainda combater um calor muito intenso.

Acreditamos que há uma fuga de gás natural no local", explicou.

Bisonette acrescentou que até que o fogo que alimenta essa fuga seja neutralizado, os investigadores não poderão começar seu trabalho.

A empresa canadense Bombardier, construtora da aeronave, disse que enviou uma equipe de técnicos a Buffalo para ajudar na investigação do acidente do Dash 8 Q400.

"Expressamos nossas condolências às famílias dos que morreram neste acidente. A Bombardier enviou uma equipe ao local para ajudar o NTSB em sua investigação", afirmou em nota a companhia. EFE vm/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.