Inundações provocam morte de ao menos 38 pessoas no Quênia

NAIRÓBI (Reuters) - As inundações no Quênia depois de fortes chuvas provocaram a morte de ao menos 38 pessoas e a retirada de 40.000 de suas casas, disse nesta quinta-feira a Cruz Vermelha. Apesar de as chuvas terem sido mínimas nesta semana em muitas partes da maior economia do leste da África, o impacto das chuvas acumuladas desde dezembro ainda está causando muitos transtornos.

Reuters |

Inundações no distrito costeiro de Malindi forçaram nesta quinta-feira um desvio do curso de um rio e submergiram 40 hectares de cultivo de milho, um alimento importante para o Quênia, informou a Cruz Vermelha.

"A subsistência foi muito afetada e as pessoas precisam desesperadamente de ajuda humanitária", disse.

A árida região norte de Turkana, que foi atingida pela seca, também sofreu inundações. A Cruz Vermelha afirmou que as chuvas causaram a morte de oito pessoas e umas 5.000 famílias foram retiradas.

O fenômeno El Niño provocou um aumento anormal das temperaturas no oceano Pacífico e pode ter um forte impacto no clima global.

A seca no Quênia afetou a produção de cultivos tradicionais, como o chá, levando os preços a níveis recordes em meio à queda na oferta dos principais fornecedores.

Os níveis de água nas represas diminuíram, forçando o fechamento de hidrelétricas e obrigando os fornecedores a usar geradores, o que aumentou os preços da energia e contribuiu para a alta da inflação.

(Reportagem de David Clarke)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG