Inundações no Paquistão deixam mais de 200 mortos

Comunidade internacional envia ajuda aos 5,3 milhões de afetados pelas chuvas que atingiram 1,19 milhão de casas

iG São Paulo |

As chuvas da estação das monções continuam nesta terça-feira na província de Sindh, ao sul do Paquistão, onde as inundações deixaram, até o momento, 226 mortos e afetaram mais de cinco milhões, segundo dados divulgados pela Autoridade Nacional de Gestão de Desastres (NDMA, sigla em inglês).

AP
Um paquistanês tenta resgatar seus pertences em Karachi, uma das regiões atingidas por chuvas de monções

De acordo com a rede de televisão CNN, entre os mortos estão 34 crianças e 59 mulheres. As chuvas paralisaram novamente nesta terça a cidade litorânea de Karachi, principal centro econômico do Paquistão e a capital regional, onde a maioria dos cidadãos não pôde sair de casa para estudar ou trabalhar.

"A situação em Karachi é bastante ruim. Muitas estradas principais e regiões estão inundadas e a coisa pode ser ainda pior", disse um oficial do distrito, Mohammad Hussain Syed.

O Paquistão sofreu durante a estação das monções de 2010 as piores inundações de sua história, e em Sindh, uma das regiões mais castigadas, ainda existiam zonas que não haviam se restabelecido totalmente da catástrofe, segundo a imprensa local.

De acordo com os últimos dados da NDMA, publicados na manhã desta terça-feira, as inundações afetaram 5,3 milhões de paquistaneses e 1,19 milhão de casas foram atingidas, em um total de 29.120 aldeias. As chuvas inundaram mais de 4,5 milhões de acres e é estimado que tenham destruído 80% das plantações.

Em um encontro com diplomatas estrangeiros, o chefe da NDMA, Zafar Qadir, reconheceu na segunda-feira que a catástrofe "superou em muito" o pior dos cenários, e pediu o "apoio humanitário de emergência" da comunidade internacional.

Ajuda

O Governo paquistanês disponibilizou 2.154 abrigos, onde há cerca de 300 mil refugiados, e está distribuindo lençóis, porções de comida, tendas, repelentes contra mosquitos e pastilhas potabilizadoras de água.

A ONU também está providenciando abastecimento de comida para meio milhão de paquistaneses para o próximo mês em Sindh, e também pretende enviar 20 mil tendas ainda esta semana, informou a Associated Press na segunda. Uma equipe da ONU estava a caminho do Paquistão depois de uma conversa telefônica entre o presidente do país, Asif Ali Zardaru, e o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

A ajuda também vem de outros países. O embaixador da China enviou um cheque no valor de US$ 50 mil na segunda para a Autoridade Nacional de Gestão de Desastres, e também prometeu US$ 4,7 milhões para as áreas mais afetadas com as inundações, além de fornecer tendas.

O ministro do Interior iraniano, Mustafá Mohammad Najar, disse no domingo que seu país doará US$ 100 milhões em ajuda para Sindh. Najar informou que, dentro de uma semana, enviará um avião carregado com materiais de socorro dentro de uma semana.

As inundações de 2010 vitimaram 1.767 e afetaram 20 milhões de paquistaneses.

* Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: paquistãoinundaçãochuva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG