Mais de 300.000 pessoas que se encontravam isoladas na Índia pelas piores inundações nos últimos 50 anos foram resgatadas, mas pelo menos outro meio mihão contnuam bloqueadas e passam fome e sede, segundo informações das autoridades neste sábado.

Pelo menos 60 pessoas morreram e outros três milhões se viram afetadas desde que o rio Kosi transbordou no início de agosto na fronteira com o Nepal e mudou o percurso, inundando centenas de povoados do estado de Bihar.

Outras 300.000 pessoas tiveram que abandonar seus lares e estão abrigadas em acampamentos instalados pelo governo em templos e outros prédios situados em terras altas.

As águas causaram extensivos danos, cortaram estradas e afetaram os serviços de água e eletricidade nas áreas afetadas.

As fortes correntezas dificutam as tarefas dos sodados para localizar sobreviventes, segundo os serviços de emergência.

O primeiro-ministro Manmohan Singh descreveu a situação como uma calamindade nacional e anunciou uma ajuda de 228 milhões de dólares e de 125.000 toneladas de cereais.

O Kosi, que desemboca no Ganges, é conhcido como o "Rio da Dor" devido a seus efeitos devastadores durante as épocas de chuvas de monção.

Mais de 800 pessoas morreram desde junho na Índia devido às intensas chuvas.

str-pg/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.