Paris, 17 abr (EFE).- A Interpol afirmou hoje que está disposta a ajudar a Polícia boliviana nas investigações do suposto plano para assassinar o presidente Evo Morales.

.

"A Interpol vai dar o apoio necessário durante as investigações", disse o secretário-geral da organização, Ronald K. Noble.

A instituição sediada na cidade francesa de Lyon disse que poderá checar em seu banco de dados as informações de DNA e impressões digitais obtidas no caso.

Além disso, a Interpol explicou que, caso a Bolívia deseje, poderá divulgar um alerta internacional a seus 185 países-membros para pedir informações adicionais ou para a detenção de suspeitos de envolvimento com o plano.

A organização disse em comunicado que Noble se reuniu recentemente com o comando da Polícia nacional da Bolívia.

"Naquele encontro, reafirmei o compromisso da Interpol de apoiar a Bolívia em sua luta contra todo tipo de crime e, em particular, de ajudar em qualquer aspecto internacional de suas investigações", disse o secretário-geral.

O suposto plano foi descoberto após uma operação na cidade de Santa Cruz, no qual morreram três "mercenários", como foram denominados pelo Governo, e houve o confisco de um grande arsenal integrado por fuzis, uma metralhadora e explosivos. EFE pi/plc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.