Interpol oferece ajuda à Índia para investigar atentados de Mumbai

O chefe da organização internacional de polícia Interpol, Ronald Noble, falou neste sábado com as autoridades indianas para oferecer ajuda na investigação dos atentados de Mumbai que deixaram 172 mortos em novembro, informou a Interpol.

AFP |

"A Índia sabe que não pode esperar encontrar as respostas para este incidente sem o apoio das forças de ordem da comunidade internacional encarregadas de fazer cumprir a lei, e nós vamos ajudá-los", disse Noble em um comunicado.

O responsável da Interpol falou com o ministro indiano do Interior, Palaniappan Chidambaram, para informar-lhe de que seus serviços podem comparam as mostras de DNA dos nove assaltantes mortos durante os atentados com as mostras da base mundial da Interpol, segundo responsáveis desse ministério.

Nova Délhi, Washington e Londres responsabilizam pelos atentados de Mumbai o grupo Lashkar-e-Taiba, um movimento fundamentalista paquistanês que se diz contra a ocupação da região da Caxemira pela Índia e contra as "perseguições aos 150 milhões de muçulmanos na Índia". No entanto, o grupo nega participação nestes ataques.

pc/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG