Interpol emite ordem de captura a líder opositor venezuelano

CARACAS (Reuters) - A Interpol emitiu uma ordem de captura internacional contra o opositor venezuelano Manuel Rosales, que solicitou asilo ao Peru após ser acusado de corrupção e se negar a apresentar-se à Justiça da Venezuela, informou nesta quinta-feira a polícia local. Rosales, prefeito da cidade de Maracaibo e que enfrentou Hugo Chávez nas eleições presidenciais de 2006, estava clandestino desde março após denunciar que Chávez manipulava um processo para desfavorecê-lo.

Reuters |

"Estamos trabalhando (...) imediatamente sob luz vermelha, que é o alerta máximo que se tem para estes cidadãos que se encontram foragidos da Justiça", disse Wilmer Flores, diretor da polícia científica, durante coletiva de imprensa.

Uma corte venezuelana emitiu na quarta-feira uma medida de privação de liberdade contra o político, além de solicitar à Interpol sua prisão por considerar ser um fato notório que Rosales não deseja se apresentar à Justiça.

Rosales, que afirma ser inocente e classifica a investigação como uma maneira de silenciá-lo politicamente, se encontra em Lima a espera de uma resposta do governo ao seu pedido de asilo político.

A chancelaria peruana disse que o processo de avaliação do caso seria rápido, enquanto Caracas considera que o pedido não seria procedente já que Rosales seria julgado por um delito comum e não político.

A Justiça venezuelana acusa Rosales de não ter condições de justificar cerca de 60.000 dólares de sua declaração patrimonial durante o período 2002-2004, quando era governador do Estado petrolífero de Zulia. Se condenado, o político poderá pegar de 3 a 10 anos de prisão.

(Reportagem de Fabián Andrés Cambero)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG