Interpol comprova autenticidade de arquivos apreendidos das Farc

Por Patrick Markey BOGOTÁ (Reuters) - A Interpol, agência policial internacional, anunciou na quinta-feira que os documentos encontrados nos computadores das Farc apreendidos pela Colômbia são autênticos.

Reuters |

No entanto, a agência não verificou o conteúdo dos arquivos capturados em março, quando um líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia foi morto por forças colombianas em território equatoriano.

A Colômbia convidou a Interpol para fazer testes forenses para assegurar que os três laptops e outros hardware não foram manipulados depois que as tropas colombianas os apreenderam.

'A Interpol concluiu que não houve alteração', disse o chefe da Interpol, Ronald Noble, em uma coletiva de imprensa em Bogotá. 'Mas não é nosso papel avaliar o conteúdo (dos documentos)', ressaltou.

A Colômbia e autoridades dos Estados Unidos dizem que os arquivos mostram que a Venezuela e o Equador prestam auxílio aos rebeldes.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, e o equatoriano, Rafael Correa, negaram as acusações e disseram que elas fazem parte de uma campanha 'suja' apoiada pelos EUA.

O presidente colombiano, Alvaro Uribe, se tornou o maior aliado dos norte-americanos na América Latina. A Venezuela e o Equador são seus maiores críticos.

Tanto Chávez quanto Correa acusam a Colômbia de ter usado os computadores para fazer propaganda dos Estados Unidos. Eles dizem que quaisquer contatos que os governos tenham tido com as Farc fazem parte dos esforços humanitários para libertar os reféns da guerrilha.

'O governo da Colômbia é capaz de provocar uma guerra com a Venezuela para justificar a intervenção dos Estados Unidos', disse Chávez recentemente. 'O que eles quiserem eles vão descobrir -- é ridículo'.

As supostas provas nos computadores fizeram com que o Congresso norte-americano discutisse a possibilidade de Washington aplicar sanções contra Chávez ou colocá-lo em sua lista de Estados que apóiam o terrorismo. Ambas as opções são complicadas porque parte crucial do petróleo importado pelo país vem da Venezuela.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG