Inteligência israelense teme ataque no 60º aniversário do país

Jerusalém, 29 abr (EFE).- A inteligência militar israelense acredita que as organizações armadas palestinas estejam preparando um grande atentado terrorista, por ocasião das celebrações do 60º aniversário da fundação do Estado judeu, no próximo 8 de maio.

EFE |

Os terroristas poderiam tentar "imitar" o ataque do dia 19 no posto fronteiriço de Kerem Shalom, entre Gaza e Israel, quando 16 soldados israelenses ficaram feridos e três palestinos morreram, advertiu o chefe do serviço de Inteligência Militar, o general Amos Yadlin.

De acordo com Yadlin, o movimento islâmico Hamas voltará a atacar as passagens fronteiriças entre Israel e a Faixa de Gaza, lugares que "supõem uma oportunidade de atacar soldados e civis".

O Hamas terá como alvo "tudo que estiver ao longo da estrada Hubers", paralela à vigiada barreira que separa Gaza e Israel. Para isso, "escavará túneis, colocará explosivos ou atacará com armas de fogo", precisou.

Apesar da proposta de cessar-fogo formulada recentemente pelo Hamas a Israel, na qual Egito desempenha um papel mediador, Yadlin se mostrou convencido de que o movimento islamita "não está interessado em nenhum tipo de trégua".

O general considera que o Hamas pede por um cessar-fogo entre cinco e dez anos, "muito mais do que solicitam os palestinos moderados por um tratado de paz".

Neste sentido, um dos principais dirigentes do Hamas, Mahmoud Zahar, advertiu, hoje, Israel que "pagará um alto preço se decidir rejeitar" a proposta de fim das hostilidades apresentada por seu movimento.

"Israel tem duzentas ogivas nucleares e o povo palestino tem 200 mil pessoas que querem ser mártires, sacrificando-se junto com os israelenses", ameaçou Zahar em discurso na Universidade Islâmica da Cidade de Gaza. EFE ap/rb/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG