Intelectuais franceses homenageiam Claude Lévi-Strauss em seu centenário

Paris, 28 nov (EFE).- O mundo da cultura homenageia o antropólogo e intelectual francês Claude Lévi-Strauss em Paris hoje, dia no qual completa um século de vida.

EFE |

A ministra de Cultura da França, Christine Albanel, descobrirá uma placa em honra do centenário etnólogo no museu Quai Branly, em Paris, instituição que dedica hoje um dia especial a Lévi-Strauss.

No teatro do museu, que tem o nome do acadêmico francês, diversas figuras da intelectualidade da França participarão de uma leitura de textos do antropólogo.

Além da ministra, lerão parte da obra de Lévi-Strauss o filósofo Raphaël Enthoven, o historiador Alexandre Adler, o escritor Georges-Marc Benhamou, o antropólogo Maurice Godelier, a psicanalista Julia Kristeva, a cineasta Laetitia Masson, o ator e diretor teatral Daniel Mesguich e o jornalista Patrick Poivre D'Arvor, entre outros.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), por outro lado, qualificou o homenageado de "uma das maiores figuras intelectuais do século XX".

O diretor-geral da Unesco, Koichiro Matsuura, ressaltou que graças a Lévi-Strauss, "sabemos que a riqueza da humanidade reside na diversidade", diz um comunicado.

A Academia Francesa, instituição da qual o etnólogo faz parte desde 1973, lhe homenageou em sua sessão de ontem, na qual não participou o intelectual, como também não está previsto que participe em nenhum dos atos que hoje serão realizados em sua honra.

Lévi-Strauss, que permaneceu distante dos meios de comunicação durante a celebração de seu aniversário, declarou ironicamente há dez anos, quando completava noventa, que gostaria que o aniversário passasse despercebido, pois este tipo de comemoração tem um lado hipócrita, pois o celebram pensando que "não haverá oportunidade de festejar o centenário". EFE jaf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG