Intel diz que denúncia apresentada nos EUA não foi investigada o suficiente

Nova York, 16 dez (EFE).- O fabricante de microprocessadores Intel assegurou hoje que a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) está mal informada e que grande parte das queixas nas quais baseou sua denúncia certamente abusou de posições que não foram investigadas.

EFE |

"A Intel concorreu de maneira justa e legal. Suas ações foram beneficentes para os consumidores. O altamente competitivo setor de microprocessadores, do qual Intel é parte fundamental, manteve uma robusta inovação e uma queda dos preços a um ritmo maior que qualquer outro setor", assegurou hoje a Intel.

A companhia, com sede em San Francisco, reagiu assim ao processo apresentado pela FTC, que acusa o maior fabricante de microprocessadores do mundo de ter utilizado sua posição dominante no mercado para reforçar-se como monopólio e prejudicar seus concorrentes.

O organismo considera que a Intel "realizou uma campanha sistemática para acabar com seus rivais concorrentes na área dos microchips, cortando seus acessos aos mercados" e privou os consumidores de "escolha e inovação".

No entanto, os responsáveis da Intel asseguraram, em comunicado, que grande parte das denúncias de que o organismo federal utilizou como base de seu processo "se somaram ao caso no último minuto e não foram investigadas".

"Além disso, (o processo) não se baseia explicitamente na legislação vigente, mas, na realidade, procura criar novas normas para regular a conduta empresarial", afirmou a Intel, que considerou que uma maior regulação "poderia prejudicar os consumidores pela redução da inovação e do aumento dos preços". EFE mgl/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG