Insurgentes islâmicos proíbem execução de música em rádios da Somália

A maioria das rádios da Somália suspendeu a execução de músicas seguindo as ordens do grupo de insurgentes islâmicos Hizbul-Islam, que afirma que canções são manifestações não islâmicas. As rádios afirmam que tiveram que obedecer as ordens dos insurgentes pois, caso contrário, colocariam as vidas de seus funcionários em risco.

BBC Brasil |

Algumas rádios informaram que, no lugar das músicas, começarão a transmitir poemas tradicionais.

A Somália não tem um governo central efetivo desde 1991 e os militantes islâmicos controlam grandes partes do território.

O governo de transição, com o apoio de soldados da União Africana e fundos da ONU, controla apenas uma pequena parte da capital, Mogadíscio.

O correspondente da BBC na Somália afirmou que esta última ordem dos insurgentes lembra muito as medidas do Talebã, enquanto estava no poder no Afeganistão.

No passado, os militantes em algumas áreas proibiram filmes e futebol e obrigaram os homens a usarem barbas.

Ouvintes e anunciantes
O correspondente da BBC em Mogadíscio Olad Hassan afirmou que a ordem para suspender a execução de músicas e jingles nas rádios foi dada há dez dias. A capital do país tem 15 estações de rádio e apenas duas não tocavam música.

Agora apenas a rádio controlada pelo governo e uma outra rádio custeada pela ONU e com base no Quênia, mas que tem um transmissor FM em Mogadíscio, tocam músicas, de acordo com Hassan.

"Estamos usando outros sons, como disparo de armas, barulho de veículos ou pássaros, para ligar nossos programas e notícias", afirmou Abdulahi Yasin Jama, chefe de programação da rádio Tusmo.

Outras rádios afirmaram que temem a perda de ouvintes e anunciantes depois da medida.

O correspondente da BBC afirma que a música pop é verdadeiramente popular em Mogadíscio e muitas pessoas não estão satisfeitas de receberem ordens sobre o que podem ouvir no rádio.

Na semana passada, o outro grande grupo militante somali, o al-Shabab, fechou cinco rádios retransmissoras da BBC em cinco cidades no sul da Somália, incluindo a capital.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG