Insulza promete reformar Carta da OEA para prevenir crises

Washington, 3 mar (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, disse hoje que a Carta Democrática Interamericana tem mecanismos insuficientes de prevenção e difusão de conteúdo, e prometeu uma reforma se continuar à frente da entidade.

EFE |

"Nossa Carta Democrática Interamericana combina a descrição detalhada das distintas dimensões da democracia, com passos específicos a seguir quando está ameaçada, mas ainda tem mecanismos insuficientes de prevenção e difusão de conteúdo", explicou.

Assim, Insulza mostrou desejo de aumentar a capacidade da OEA para identificar os problemas potenciais e prever melhor as situações críticas que possam ameaçar a democracia em algum país-membro.

Insulza compareceu hoje perante o Conselho Permanente do organismo, onde apresentou sua candidatura para um mandato de cinco anos à frente da OEA.

Entre outros países, Brasil, Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai já anunciaram oficialmente seu apoio ao secretário-geral, com o que ele vai acumulando votos para ser reeleito em 24 de março. EFE cai/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG