Insulza diz que países da OEA rejeitam sanções americanas contra Cuba

Miami, 22 abr (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, declarou hoje em Miami que os países-membros da entidade não apoiam a série de sanções impostas pelos Estados Unidos contra Cuba.

EFE |

A OEA "suspendeu as sanções contra Cuba em 1975", lembrou Insulza em almoço organizado na Universidade de Miami.

Entretanto, o secretário-geral explicou que "a decisão de suspender o embargo (comercial) a Cuba corresponde estritamente aos EUA".

Além disso, Insulza qualificou de "obsoleta" a resolução de 1962 que suspendeu Cuba da OEA, no que teria sido um produto da Guerra Fria.

Ao comentar se a assinatura da Carta Democrática Interamericana não obrigaria Cuba a efetuar mudanças em seu sistema político, Insulza argumentou que este documento é uma "declaração, não um tratado".

Nesse sentido, expressou suas dúvidas sobre a obrigação de Cuba assinar este documento para se incorporar à OEA.

Quanto ao interesse do Governo cubano em se reincorporar ao organismo - algo negado pelo país -, Insulza disse que a Administração da ilha "não vai dizer nada, a não ser negar". EFE emi/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG