Washington, 15 jul (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, se mostrou hoje moderadamente otimista sobre o sucesso das gestões de mediação em Honduras, embora tenha frisado que é um processo complexo e difícil que levará algum tempo.

Insulza informou o Conselho Permanente da OEA sobre a evolução das gestões para restituir o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, e as sanções do organismo contra o atual Governo.

O secretário-geral assinalou que o presidente da Costa Rica, Oscar Arias, que atua como mediador, confirmou por telefone que o diálogo entre as partes rivais em Honduras será retomado no próximo sábado, na capital San José.

Embora tenha apontado dificuldades para uma solução ao se tratar de um conflito de "tanta profundidade", Insulza espera que "haja avanços".

"Seria precipitado dizer que se vai resolver logo o problema, mas não é precipitado dizer que teremos alguns avanços para uma solução", afirmou Insulza.

O secretário-geral denunciou a existência de "uma ofensiva de propaganda de diversos setores" para dar certa legitimidade ao atual Governo de Honduras, mas lembrou que "não houve fissuras na comunidade internacional", que rejeitou o golpe de Estado. EFE elv/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.