Insulza aguarda garantias para viajar a Honduras

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, disse nesta terça-feira que espera garantias para viajar a Honduras e mediar um retorno à democracia.

AFP |

A volta do presidente Manuel Zelaya a Honduras "certamente aumenta a tensão, mas também cria uma grande oportunidade", comentou Insulza à imprensa em Nova York, onde espera a oportunidade para viajar a Tegucigalpa.

Insulza revelou que mantém contato com Zelaya e com o governo de fato de Roberto Micheletti, que assumiu o poder em junho passado.

"Temos que ter garantias para poder negociar", disse Insulza. "Queremos contribuir para a paz, mas não queremos contribuir para a divisão e para as confrontações. Vamos tentar o diálogo e a mediação, porque essas são as ferramentas que temos. Não há um exército para ir até lá e não faremos isto".

Segundo Insulza, a proposta de negociação que está sobre a mesa é a do "Acordo de San José", desenhado pelo presidente da Costa Rica, Oscar Arias, para a volta da democracia a Honduras.

Desde a chegada de Zelaya a Honduras, "temos mantido contato com ele e com as autoridades do governo de fato para promover o diálogo". "Tem que haver um diálogo entre o governo eleito e o governo de fato para um acordo pacífico de retorno à democracia."

Insulza lembrou que há unanimidade entre a comunidade internacional sobre a necessidade de se buscar uma solução pacífica em Honduras.

ltl/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG