Insulza adia viagem a Honduras por fechamento de aeroportos

Santiago do Chile, 22 set (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, disse hoje adiou a viagem a Honduras devido ao fechamento dos aeroportos, medida decretada pelo na segunda-feira pelo Governo hondurenho de fato.

EFE |

Em declarações à rádio chilena "Cooperativa", Insulza declarou que não há voos a Tegucigalpa, mas reiterou que continua com o mesmo propósito de contribuir na busca de um diálogo entre os golpistas e o deposto presidente Manuel Zelaya, que desde a segunda-feira está na embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

"Não há outra saída que não a negociação, e a melhor opção é o acordo de San José", ressaltou Insulza, referindo-se a proposta do presidente da Costa Rica, Óscar Arias, mediador da crise hondurenha.

De acordo com Insulza, a presença de Zelaya em Tegucigalpa provocou uma reviravolta na situação hondurenha.

A proposta de Arias prevê a reposição do presidente Manuel Zelaya ao Governo.

O Governo de fato, após negar a presença de Zelaya no país, optou por decretar o toque de recolher e o fechamento dos aeroportos, além de pedir ao Brasil que entregue o governante deposto.

Insulza reiterou hoje que a OEA respalda a decisão do Brasil de acolher Manuel Zelaya em sua embaixada.

"Apoiamos e pedimos tanto para a sede brasileira quanto para Zelaya todas as garantias", reafirmou o secretário-geral da OEA, em Nova York, onde nesta terça-feira se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. EFE ns/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG