Insetos podem contribuir para efeito estufa, segundo estudo

Uma invasão severa de escaravelhos do pinheiro, inseto que se instala na casca de coníferas e as mata, pode transformar as florestas da Columbia Britânica, que atualmente absorvem CO2, em região produtora de dióxido de carbono, segundo estudo canadense publicado nesta quinta-feira.

AFP |

Os bosques das Montanhas Rochosas canadenses sofrem com uma invasão de "Dendroctonus ponderosae" por causa do aquecimento do planeta, que agora permite que sobrevivam em regiões onde, no passado, o frio congelante os expulsava.

O inseto, uma espécie de escaravelho, cava túneis entre a casca e a madeira, o que acaba matando as árvores.

As árvores, que absorvem o carbono em sua fase de crescimento, o devolvem para a atmosfera quando morrem, durante o processo de decomposição.

No primeiro estudo sobre os efeitos do aquecimento global sobre os insetos, publicado na revista britânica Nature, cientistas do serviço florestal de Victoria (Columbia Britânica) estimavam que, até 2020, o impacto das mudanças climáticas poderia transformar a região.

Segundo os pesquisadores, por absorverem o CO2, as florestas são "um pequeno poço de carbono", que pode se transformar em "fonte importante" desse elemento, devido à decomposição massiva de árvores mortas.

A invasão sem precedentes de escaravelhos do pinheiro pode afetar 374.000 km2 de bosques, e produzir até 2020 cerca de 270 milhões de toneladas de carbono, segundo estimativas dos cientistas.

"É exatamente a quantidade de emissões de gases do efeito estufa que o Canadá se comprometeu a reduzir a partir do protocolo de Kyoto até 2012", aponta em um comentário publicado na Nature o especialista Brian Hoyle.

gcv/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG