Inquérito internacional descobre rede de tráfico de armas no Irã

Por Marie-Louise Gumuchian e Roberto Bonzio MILÃO (Reuters) - A Itália prendeu sete pessoas nesta quarta-feira sob suspeita de tráfico de armas para o Irã -- dois iranianos são supostamente agentes secretos e cinco são italianos -- disse a polícia na quarta-feira.

Reuters |

A polícia italiana trabalhou com autoridades na Grã-Bretanha, Romênia e Suíça e realizou as detenções durante a noite em diversas cidades.

Entre os presos estava um jornalista iraniano credenciado no clube de imprensa estrangeira de Roma. Acredita-se que todos os quatro suspeitos iranianos, inclusive dois que permanecem foragidos, são membros do serviço secreto iraniano, disse a polícia.

A investigação, que começou em junho, desvendou um círculo que enviou armas ao Irã da Itália através de três países.

A operação impediu que balas, explosivos do leste europeu e materiais explosivos para bombas incendiárias fossem enviadas ao Irã, além de 1.000 rifles alemães e 120 casacos militares, informou a polícia.

"Seu sistema... frequentemente envolveu a compra de mercadorias no exterior e o transporte entre Itália e outras nações para esconder o destino final e real, que é o Irã," disse em coletiva de imprensa um promotor italiano de anti-terrorismo Armando Spataro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG