A ex-refém Ingrid Betancourt afirmou nesta quinta-feira, em entrevista ao canal americano NBC, que ainda não pensa em voltar para a Colômbia porque as Farc podem querer se vingar.

"Amo meu país. Sou colombiana do fundo do meu coração, adoro meu país e quero servir a ele", afirmou Betancourt, libertada no último dia 2 junto a outros 14 reféns da guerrilha.

"Mas acho que tenho que ser prudente. A guerrilha pode estar querendo se vingar", acrescentou.

"Acho que minha família passou por tempos horríveis e não tenho direito de destruir nossos sonhos, agora que, por fim, podemos estar juntos. A única coisa que importa agora é ajudar os que continuam sofrendo na selva", concluiu.

Por outro lado, o ex-senador colombiano Luis Eladio Pérez, confidente de Ingrid Betancourt no cativeiro e libertado pelas Farc em fevereiro passado com a mediação do presidente venezuelano Hugo Chávez, se refugiou em Miami depois de receber ameaças de morte por parte da guerrilha.

O ex-senador disse que as Farc o acusam de ter colaborado na operação que levou ao resgate de Ingrid Betancourt e outros 14 reféns.

Ele negou ter participado na operação, que considerou excessivamente arriscada para a vida dos reféns.

jco/rpl/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.