Inflação anual no Zimbábue chega a 231 milhões por cento

A taxa anual de inflação do Zimbábue chegou a 231 milhões por cento, segundo dados oficiais relativos a julho. O aumento, da ordem de 11,2 milhões por cento em relação ao mês anterior, ocorreu devido a aumentos nos preços do pão e dos cereais.

BBC Brasil |

Dados não oficiais indicam que a inflação, que já é a mais alta do mundo, pode ser ainda maior.

A inflação no Zimbábue é tão alta que o dinheiro do país quase não significa mais nada: salários perdem o valor no momento do pagamento, e o papel moeda quase não vale o papel com que é impresso.

O governo tem respondido à alta da inflação com a impressão de notas com denominações cada vez mais altas, o que - segundo analistas - estimula ainda mais a inflação que destruiu a economia do país.

Muitos zimbabuanos apelam para o escambo para conseguir os produtos básicos, ou então contam com a ajuda de familiares que vivem na vizinha África do Sul. O desemprego já teria alcançado a marca de 80% da população adulta.

A FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) estima que 2 milhões de pessoas precisam de alimentos no Zimbábue e que esse número deve subir para 5,1 milhões (ou 45% da população) até o começo de 2009.

"Milhões de zimbabuanos já estão sem alimentos ou sobrevivendo com apenas uma refeição por dia, a crise vai piorar muito nos próximos meses", disse Mustapha Darboe, da FAO.

Acordo político

Observadores afirmam que será impossível encontrar uma solução para a crise econômica no Zimbábue enquanto os líderes políticos do país não firmarem o acordo de compartilhamento de poder.

Mais de três semanas depois de o presidente Robert Mugabe ter assinado o acordo com o líder oposicionista Morgan Tsvangirai, os dois ainda não firmaram um compromisso para dar início à reconstrução do país.

Em setembro, ficou acertado que Mugabe, líder do Zimbábue nos últimos 28 anos, permanecerá na Presidência e Tsvangirai ocupará o cargo de primeiro-ministro.

No entanto, os dois ainda não conseguiram chegar a um acordo sobre o gabinete de governo.

Na quinta-feira, Tsvangirai repetiu o pedido de seu partido, Movimento para a Mudança Democrática (MDC), para que o ex-presidente sul-africano Thabo Mbeki retome o papel de mediador das negociações.

"Declaramos que há um impasse e, portanto, o processo não pode avançar a não ser na presença de um facilitador", disse Tsvangirai.

Mas o partido de Mugabe, o Zanu-PF, rejeita os pedidos do MDC e afirma que não é necessária a presença de um mediador.

Mugabe e Tsvangirai não conseguem chegar a um acordo principalmente em relação a ministérios estratégicos como Defesa, Economia, Interior e Segurança.

Leia mais sobre inflação

    Leia tudo sobre: inflação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG