Tamanho do texto

Jacarta, 15 ago (EFE).- O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, advertiu hoje em seu discurso anual sobre o Estado da União que seu país, o de maior população muçulmana do mundo, segue ameaçado pelo terrorismo islamita.

Em seu discurso no Parlamento, o chefe de Estado afirmou que a Indonésia "não está salva de atos terroristas", apesar de no último ano a luta antiterrorista ter obtido "vitórias muito encorajadoras".

Yudhoyono lembrou que o Governo, a Justiça e as forças de segurança "devem manter a guarda" diante da ameaça da Jemaah Islamiya, considerada braço da Al Qaeda no Sudeste Asiático.

Pertencem ao braço terrorista os três condenados à morte pelos atentados de Bali que deixaram 202 mortos em 2002.

O grupo extremista nasceu em 1995 com o objetivo de estabelecer um Estado islâmico independente na Indonésia, na Malásia, em Cingapura, no sul das Filipinas e na Tailândia. EFE jpm/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.