Mais de 11 mil pessoas terão de deixar suas casas na cidade de Yogyakarta, que fica perto do vulcão Monte Merapi

Mais de 11 mil pessoas terão de deixar suas casas por causa da erupção do vulcão Monte Merapi, próximo à cidade de Yogyakarta, na ilha indonésia de Java.

"Vamos retirar 11.491 pessoas que vivem a uma distância de 10 quilômetros do pico. Vamos trabalhar em conjunto com os militares e a polícia para realizar a remoção", disse o dirigente local Sri Purnomo, à rádio Elshinta. As autoridades prepararam sete abrigos e planejavam remover a população da área nesta segunda-feira à tarde, segundo a emissora.

Motociclistas observam fumaça saindo do Monte Merapi, na Indonésia
Reuters
Motociclistas observam fumaça saindo do Monte Merapi, na Indonésia

O órgão indonésio encarregado das medidas de mitigação de desastres geológicos e vulcânicos elevou ao mais alto nível o alerta nesta segunda-feira e recomendou a remoção das pessoas. Surono disse que o vulcão já havia liberado nos últimos dias duas vezes mais energia do que em erupções recentes.

"Não podemos prever quando ele vai entrar em erupção nem a intensidade que terá, mas tivemos de elevar o nível de risco com base em sua atividade, acrescentou. Em 1994, 70 pessoas morreram em uma erupção do Monte Merapi. Em 1930, a lava do vulcão matou 1.300 pessoas.

Entre sexta-feira e sábado, os tremores vulcânicos no Merapi aumentaram de 321 a 525, enquanto o número de eruções de lava passou de 93 a 183. A Indonésia está sobre o chamado 'Anel de Fogo do Pacífico', uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica, e tem cerca de 400 vulcões, dos quais 129 estão ativos.

Com Reuters e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.