Indonésia mata provável líder terrorista e evita novo ataque

Por Telly Nathalia KEDU, Indonésia (Reuters) - A polícia indonésia matou a tiros um homem suspeito de ser o líder militante islâmico Noordin Mohammad Top após um cerco de 18 horas no centro de Java e pretende confirmar sua identidade com testes de DNA.

Reuters |

Em outra batida, a polícia frustrou um plano para atacar com um carro-bomba a residência do presidente indonésio Susilo Bambang Yudhoyono nas cercanias da capital Jacarta, disseram autoridades.

Nascido na Malásia, Top é um dos principais suspeitos dos ataques suicidas quase simultâneos do mês passado aos hotéis JW Marriott e Ritz-Carlton de Jacarta, que mataram nove pessoas e deixaram 53 feridos.

Yudhoyono prometeu localizar os atacantes, e a morte ou captura de Top seria um grande trunfo para as forças de segurança e poderia reduzir a possibilidade de novos ataques. A polícia pretende buscar uma amostra de DNA da família de Top para confirmar sua morte depois da troca de tiros em Java, declarou Bambang Hendarso Danuri, chefe da polícia nacional, em uma coletiva de imprensa.

"Se a família e a esposa quiserem vê-lo, são bem-vindos. Se este for Noordin Top, por favor nos permitam analisar o DNA. Se isso for feito, podemos dizer quem ele é," disse ele.

A polícia lançou uma série de batidas desde sexta-feira e duas fontes policiais próximas à investigação dos ataques aos hotéis disseram que um homem suspeito de ser Top foi morto em Temanggung, pouco mais de 400 km a sudeste de Jacarta. "Ele foi morto a tiros", disse uma das fontes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG