Indonésia detém o terrorista mais procurado do país

Abdullah Sonata é acusado de recrutar fundamentalistas de grupos terroristas

EFE |

Jacarta - A Polícia da Indonésia deteve nesta quinta-feira o terrorista mais procurado do país, Abdullah Sonata, em operação na ilha de Java na qual foram detidos outros dois supostos islamitas e outro morreu baleado, informaram as autoridades.

O chefe da Polícia da Indonésia, Bambang Hendarso Danuri, confirmou a identidade do principal detido, que é acusado de ser um estreito colaborador do falecido Noordin Top e de recrutar fundamentalistas do grupo terrorista de Aceh, desarticulado recentemente.

A operação antiterrorista começou na quarta-feira à tarde e durou até o início da noite nas localidades de Klaten, Cangkringan e Boyolali, todas no centro da ilha de Java, segundo as forças de segurança. Em alguns casos, houve tiroteios que deixaram pelo menos um policial gravemente ferido. Sonata, que está sendo interrogado em dependências policiais, viajava sozinho em um ônibus que fazia a rota entre as cidades de Solo e Semarang.

O suposto terrorista, um dos dois líderes islamitas da Indonésia junto a Umar Patek, foi condenado a sete anos de prisão em 2006 por posse de armas por colaborar com Noordin Top, o terrorista mais procurado do Sudeste Asiático até sua morte em uma operação policial em agosto do ano passado, mas foi liberado em abril de 2009 por boa conduta.

    Leia tudo sobre: iGindonésiaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG