Indonésia bloqueia site com polêmico vídeo anti-Islã de congressista holandês

Jacarta, 8 abr (EFE).- A Indonésia bloqueou hoje o acesso a vários portais da internet, dentre os quais o YouTube e o MySpace, para impedir a difusão em seu território do polêmico curta-metragem do político holandês Geert Wilders, no qual faz duras críticas ao Islã, e que provocou amplos protestos no país.

EFE |

Pelo menos três grandes provedores de internet da Indonésia, nação com maior população muçulmana do mundo, obedeceram ao mandato do Governo, e bloquearam alguns dos principais portais nos quais se podia visualizar o documentário "Fitna".

Às 16h locais (6h de Brasília), já não era possível acessar o popular portal de vídeos YouTube e a página principal da rede de relacionamentos MySpace. Contudo, o controverso vídeo ainda estava disponível na seção de vídeos do site de buscas Google.

A Speedy, filial da gigante indonésia de telecomunicações Telkom, se desculpava desde o início da manhã de hoje em seu site pelo bloqueio de oito portais, nos quais figurava o trabalho do ultradireitista Wilders.

"Lamentamos o bloqueio das páginas e blogs que contêm (o filme) 'Fitna', segundo o pedido do Ministério de Comunicações e Tecnologia da Informação", afirma a nota postada no site de empresa.

Os sites afetados por esta decisão são YouTube, MySpace, Metacafe, Rapidshare, Multiply e Liveleak, além da página oficial do curta-metragem (www.themoviefitna.com).

Outros servidores do país atuaram de maneira similar para evitar problemas legais.

O Ministério pediu na semana passada aos provedores locais que bloqueassem o acesso às páginas que divulgassem o documentário, alegando que "ataca a harmonia religiosa e civil em nível global".

EFE jpm/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG