Índios são transferidos para prisão de segurança máxima no RN

Rio de Janeiro, 18 mar (EFE).- Dois importantes líderes indígenas foram presos por defenderem a demarcação de terras da tribo Tupinambá, denunciou hoje o Conselho Missionário Indigenista (Cimi).

EFE |

Trata-se do cacique Rosivaldo Ferreira da Silva, conhecido como "Babau", e de seu irmão, Givaldo Ferreira da Silva, que foram detidos na semana passada por denúncias de suposta invasão de terras feitas por fazendeiros que se opõem à demarcação da reserva Tupinambá, assegura o Cimi.

Os dois índios foram transferidos ontem para a Penitenciária Federal de Mossoró, de segurança máxima.

"A transferência dos dois importantes líderes indígenas a um presídio federal de segurança máxima constitui outra ação arbitrária da Polícia Federal e reforça a convicção de que tais detenções têm um iminente cunho político", assegura o Cimi, em comunicado.

O Conselho atribui as detenções a "uma evidente represália diante da importante vitória judicial conquistada pelo povo Tupinambá há poucos dias em um tribunal de Brasília, que garantiu a propriedade de suas terras tradicionais, que tinham sido invadidas por latifundiários e políticos da região".

A decisão da Justiça de fazer valer os direitos e deveres dos índios "não pode servir de pretexto para criminalizar os líderes indígenas sob o aplauso de fazendeiros, empresários e políticos locais, invasores das terras tradicionais deste povo", acrescenta o comunicado. EFE cm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG