Índios fazem reféns funcionários da Funasa no Mato Grosso

Brasília, 18 nov (EFE) - Índios de diferentes etnias tomaram como reféns em Canarana, no Mato Grosso, 12 funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para exigir a renovação de um acordo pelo qual recebiam serviços básicos de saúde e alimentação, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Fontes da Fundação Nacional do Índio (Funai) disseram à Agência Efe que aproximadamente 130 indígenas ocuparam a sede da Funasa, e pertencem a etnias que habitam na região do Xingu (MT).

Os indígenas chegaram hoje até Canarana, uma pequena cidade de 18 mil habitantes, para protestar contra o fim de um convênio entre a Funasa e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Mediante esse acordo, que vencerá em dezembro, os habitantes do Xingu recebiam atendimento médico e ajuda alimentícia da Unifesp, que há 43 anos colabora com os índios em diferentes campos.

O Ministério da Saúde sugeriu revisar esse convênio e manter a ajuda, não através da universidade, mas mediante ONGs que ainda não foram definidas.

As fontes consultadas pela Efe disseram que os indígenas exigiram a presença do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e de autoridades da Funasa como condição para a libertação dos reféns.

Também reivindicaram a criação de uma Secretaria especial para atender os indígenas no Ministério da Saúde, que ainda não se pronunciou sobre o assunto. EFE ed/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG