Indígenas rejeitam atividade petrolífera em selva peruana

Lima, 14 dez (EFE).- Os indígenas Matsés se opõem à atividade petrolífera da empresa canadense Pacific Stratus Energy em suas reservas, situadas em uma região remota da Amazônia peruana, publicou hoje o jornal El Comercio de Lima.

EFE |

A Pacific Stratus Energy tentou dialogar com os Matsés em 3 de dezembro no povoado de San José de Añushi, perto da fronteira com o Brasil, no que foi o primeiro encontro entre as partes desde que o Estado peruano concedeu dois lotes petroleiros à empresa canadense em novembro de 2007.

Nesse dia, os líderes comunais dos Matsés receberam o coordenador ambiental da companhia petrolífera, Víctor Suárez, junto a outros indígenas armados com arcos e flechas e que levavam cartazes nos quais se lia: "não queremos empresa", segundo relatou o jornal peruano.

Segundo o gerente geral da Pacific Stratus Energy, Enrique Ramirez, os pedidos de diálogo foram "frustrados pela direção Matsé".

Ramirez admitiu que no passado muitas petrolíferas foram causadoras da poluição, mas afirmou que agora a atividade petrolífera está melhor regulada pelas leis e vigiada pelas organizações internacionais.

O Peru é palco constante de conflitos pela terra entre comunidades indígenas, empresas e Governo, já que muitas vezes as etnias vêem seu habitat ameaçado enquanto o Estado necessita de recursos energéticos que são abundantes na região.EFE watt/ab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG