Bogotá, 9 mar (EFE).- As tribos indígenas do departamento de Cauca, no sudoeste colombiano, convidaram as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para um diálogo público que ajude a avançar no caminho da paz.

A iniciativa da Associação de Cabildos Indígenas do Norte de Cauca (Acin) e do Conselho Regional Indígena do Cauca (Cric) foi apresentada em mensagem divulgada hoje pela internet e dirigida ao líder das Farc, "Alfonso Cano", apelido de Guillermo León Sáenz Vargas.

"Não queremos simplesmente ser excluídos da guerra e de suas atrocidades, enquanto esta segue assolando o país e os outros povos; não queremos nos fechar em uma carapaça enquanto as pessoas se matam. Não. Queremos que a guerra termine", afirmam os signatários da carta, datada de 19 de fevereiro.

O interesse do Estado e das Farc é levar os indígenas "à força na lógica de guerra", acrescentam a Acin, que reúne as autoridades do povo dos paeces, e o Cric, composto por conselheiros da etnia e da dos guambianos, originárias do sudoeste da Colômbia.

"Não queremos ser um grupo armado, não queremos que nossos membros se tornem combatentes de nenhum Exército, porque achamos que a desmobilização direta do povo, o Governo popular e a organização consciente de todos e todas são mais poderosos que qualquer força armada", acrescentam os coletivos.

"Queremos que esta carta sirva para abrir um diálogo público com vocês, que esperamos que seja direto e transparente, que ajude a resolver os problemas e a avançar no caminho da paz, e que não agrave a situação", expressam as organizações indígenas. EFE jgh/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.