Milhares de indianos estão indo às urnas nesta quarta-feira, na última rodada das eleições gerais do país, que duraram um mês. Cerca de 107 milhões de indianos poderão votar nesta fase.

Reuters
Indianos fazem fila para votar
Indianos fazem fila para votar


O país, tido como a maior democracia do mundo, conta com mais de 700 milhões de eleitores e o pleito foi dividido em cinco rodadas entre abril e maio por questões logísticas. ntre os nove Estados e territórios a terem as urnas abertas estão Tamil Nadu e Jammu e Caxemira.

Tamil Nadu, conhecido como "a Detroit da Índia", é uma das áreas do país mais desenvolvidas economicamente e com grande expressão política no nível nacional.

O eleitorado do Estado, no sul do país, tende a dar grandes vitórias para um ou outro dos dois principais partidos - Partido do Congresso, de situação, e o Partido Bharatiya Janata (BJP, na sigla em inglês) - e deverá desempenhar um papel crucial na formação do governo nas negociações para uma coalizão que, é quase certo, deverão ocorrer após as eleições. Segundo o correspondente da BBC em Nova Déli, Sanjoy Majumder, os últimos cinco governos indianos foram formados com vitoriosos das urnas em Tamil Nadu.

Separatistas

Em Jammu e Caxemira, grupos separatistas defenderam um boicote das eleições. O correspondente da BBC na capital do Estado, Srinagar, Altaf Hussain, disse que o comparecimento às urnas tem sido, até o momento, muito baixo.

Um grande número de policiais e tropas paramilitares foi enviado a Srinagar para impedir manifestações contrárias à eleição, de acordo com Hussain.

Também haverá votação nos Estados de Punjab, Himachal Pradesh, Uttarakhand, Uttar Pradesh, Bengala Ocidental e nos territórios administrados pelo governo federal, Chandigarh e Puducherry.

Os resultados devem ser anunciados no sábado. O novo Parlamento deve ser formado até 2 de junho.

Previsão

Nenhuma das duas principais agremiações que disputam as eleições, o Partido do Congresso - que governou a Índia nos últimos cinco anos - e o BJP - que governou o país entre 1998 e 2004 -, deve conquistar a maioria das cadeiras no Parlamento.

Isto deve fazer com que eles busquem apoio de partidos menores para tentar formar o novo governo do país.

Além disso, eles terão que disputar os votos com uma coalizão formada por agremiações de esquerda e partidos regionais que se intitula Terceira Frente, o que deve tornar as eleições ainda mais acirradas.

Mesmo assim, os dois principais partidos já divulgaram os nomes de seus candidatos a primeiro-ministro. O candidato da coalizão liderada pelo Partido do Congresso é o atual premiê indiano, Manmohan Singh. Já o indicado pelo BJP é L. K. Advani.

Leia mais sobre eleições na Índia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.