Índia se mobiliza para recuperar objetos de Gandhi em leilão em NY

A Índia ordenou aos diplomatas do país nos Estados Unidos que iniciem todas as ações possíveis para recuperar os objetos de Mahatma Gandhi que serão leiloados na quinta-feira em Nova York.

AFP |

"Pedimos a nossa embaixada em Washington e a nosso consulado geral em Nova York que façam todo o necessário para recuperar os pertences durante o leilão ou por qualquer outro meio", afirmou o vice-ministro das Relações Exteriores, Anand Sharma.

O ministério revelou que os diplomatas indianos já se reuniram com os diretores da casa de leilões Antiquorum Auctioneers, que programou para quinta-feira a venda dos célebres óculos redondos, o par de sandálias de couro, o relógio de bolso, um prato e uma tigela que pertenceram a Gandhi.

A Antiquorum estabeleceu um preço de 20.000 a 30.000 dólares pelos objetos, uma quantia que pode aumentar caso a publicidade dos últimos dias aumente ainda mais.

Na terça-feira, James Otis, o homem que afirma possuir os óculos de Mahatma Gandhi anunciou que rejeitou uma oferta do governo indiano.

"Recebi um e-mail na noite passada de alguém do consulado (indiano) em Nova York. Me fizeram uma oferta, cujo valor não posso revelar porque é tão baixa que não desejo colocá-los em um aperto", disse à AFP Otis, um diretor de documentários que mora em Los Angeles.

O bisneto de Gandhi, Tishar Gandhi, que dirige em Mumbai a fundação com o nome do bisavô, considerou que a venda dos objetos representaria um "insulto grave" à memória do pai da independência indiana.

Mohandas Karamchand Gandhi, mais conhecido como Mahatma ("grande alma") Gandhi, foi o líder do movimento de desobediência civil que resultou na independência da Índia da Grã-Bretanha em agosto de 1947.

Nascido em 2 de outubro de 1869 no nordeste da Índia, Gandhi foi assassinado em Nova Délhi em 30 de janeiro de 1948 pelo extremista hindu Nathuram Godse.

burs-er-nr/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG