Índia não proibirá protestos durante passagem de tocha olímpica

Nova Délhi, 11 abr (EFE).- O Governo da Índia não proibirá as manifestações pró-Tibete durante a passagem da tocha olímpica por seu território, mas se recusa a divulgar se permitirá a participação de autoridades chinesas no dispositivo de segurança que será encarregado de garantir a segurança durante o evento, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

A fonte, que não foi identificada, assegurou que é responsabilidade da Índia garantir a segurança da chama olímpica dentro de suas fronteiras.

No entanto, afirmou que "ainda não há nada decidido" sobre a possibilidade de membros das forças de segurança chinesas fazerem parte do dispositivo policial.

Além disso, acrescentou que as autoridades indianas avisaram ao Governo de Pequim que "não poderiam proibir a realização de manifestações pacíficas de tibetanos".

Uma equipe de quatro especialistas em segurança chineses se encontra na Índia para discutir as medidas que serão adotadas na próxima quinta-feira para impedir incidentes durante a passagem da tocha por Nova Délhi.

As autoridades indianas anunciaram que desdobrarão um grande dispositivo de segurança para garantir que a passagem da tocha transcorra sem incidentes.

Nos últimos dias, o percurso da chama olímpica foi interrompido por manifestantes em Londres e Paris, que protestavam contra a política das autoridades chinesas no Tibete.

Calcula-se que a Índia abrigue cerca de 130 mil refugiados tibetanos que abandonaram seus lares depois da revolta de 1959, que forçou o exílio do dalai lama.

O Governo tibetano no exílio e seu líder espiritual têm sua sede na cidade indiana de Dharamsala, nos arredores do Himalaia. EFE mb/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG