Índia interroga 2 muçulmanos por elo com ataques a Mumbai

Nova Délhi, 18 dez (EFE).- Dois muçulmanos, que já haviam sido detidos há dez meses, compareceram hoje perante uma corte da cidade de Mumbai (ex-Bombaim), depois que a Polícia achasse indícios da suposta colaboração de ambos nos ataques terroristas de novembro, informou uma fonte policial.

EFE |

A Polícia suspeita que os dois ajudaram os terroristas que mataram 179 pessoas ao fazerem tarefas de reconhecimento no terreno e dar informação sobre os alvos, segundo a fonte, citada pela agência de notícias "PTI".

O procurador Eknath Dhumal confirmou também que a Polícia achou CDs com informação visual sobre Mumbai, supostamente elaborados por Fahim Ansari e Sabaudín, que, além disso, poderiam ter ajudado os terroristas "de algum outro modo".

Ambos foram levados ontem à noite ao tribunal de Mumbai da região nortista de Uttar Pradesh, onde estavam sob custódia policial por suposto elo com um ataque contra um centro paramilitar indiano em dezembro de 2007.

Após a audiência, o juiz decidiu colocá-los em detenção preventiva até o próximo dia 31 de dezembro, para que possam ser interrogados.

Agências de notícias indianas, que não citaram suas fontes, asseguraram que tanto Ansari como Sabaudín pertencem ao grupo Lashkar-e-Toiba (LeT), responsabilizado pela Índia pelo massacre de Mumbai. EFE amp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG