Índia enviará 20 mi para refugiados no Sri Lanka

Nova Délhi, 27 abr (EFE).- O Governo indiano aprovou o envio de US$ 20 milhões em ajuda aos refugiados pelo conflito no Sri Lanka e chamou de passo importante para a segurança dos civis o anúncio do Governo cingalês de que deixará de bombardear o último reduto sob controle da guerrilha tâmil.

EFE |

O Governo do Sri Lanka anunciou hoje que o Exército concluiu as operações de combate contra a guerrilha e que a ofensiva se limitará ao "resgate" dos civis encurralados, sem usar armamento pesado nem aviação.

Com este anúncio, o Governo de Colombo rejeitou de fato os pedidos internacionais por uma pausa nos combates para evitar mais vítimas civis.

"Este é um primeiro passo importante pela segurança dos civis tâmeis e dos refugiados internos que estão presos na zona de conflito", disse o Ministério indiano de Relações Exteriores em comunicado.

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, deu sinal verde a uma ajuda de 1 bilhão de rúpias (cerca de US$ 20 milhões) para os civis que fugiram da área de confronto, embora as fórmulas de entrega da ajuda ainda não tenham sido decididas.

Segundo cálculos oficiosos da ONU, cerca de 2 mil civis morreram durante a ofensiva lançada há uma semana contra a última faixa de território dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE), no distrito de Mullaitivu, no norte da ilha.

Nessa operação, o Exército afirma ter resgatado cerca de 110 mil civis que permaneciam encurralados entre guerrilheiros dos LTTE e que agora se amontoam em campos de amparada em território governamental.

Segundo o Governo cingalês, de 15 mil e 20 mil civis tâmeis seguem no reduto guerrilheiro embora a ONU eleve o número a cerca de 50 mil.

Os "tigres" tâmeis lutam há 25 anos para estabelecer um Estado independente no norte e o leste do Sri Lanka, onde se concentra a população de etnia tâmil, que também é majoritária no sul da Índia.

EFE mb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG