Índia diz ter provas que implicam Inteligência paquistanesa em ataques

NOVA DÉLHI - A Índia tem provas da implicação do serviço secreto do Paquistão (ISI) no planejamento do recente atentado em Mumbai e no treinamento dos terroristas que o cometeram, segundo uma fonte da Inteligência indiana. Estamos totalmente convencidos de que o ISI está envolvido nos ataques a Mumbai, disse a fonte à agência Ians.

EFE |


A revelação, feita simultaneamente pelas agências "Ians" e "PTI" e pela rede de televisão indiana "NDTV", atribui o atentado ao grupo Jamaat-ud-Dawa, sob o qual esconde-se o proibido Lashkar-e-Toiba (LeT), que o governo apontou como responsável pelos ataques que mataram 188 pessoas na semana passada.

Fontes não identificadas citadas pela "PTI" afirmam que o governo indiano tem os nomes dos membros do ISI que treinaram os terroristas e dos lugares onde receberam instrução no Paquistão, e se "recusa a crer" que isso tivesse acontecido sem o conhecimento do Exército paquistanês.

A fonte de inteligência da "Ians" insistiu em que a Índia entregará ao Paquistão, em breve, a lista com esses nomes, que está sendo preparada com a colaboração dos serviços secretos americanos. A Índia dará ao Paquistão "uma quantidade de tempo razoável" para que aja em resposta a essa informação, acrescentou.

A versão da "PTI" destacou também que a Índia não acredita em que o governo paquistanês esteja envolvido no ataque, mas que é "alvo" de um golpe terrorista que o Exército paquistanês poderia aproveitar para aumentar a tensão com a Índia e voltar ao poder.

O governo de Yousaf Raza Gillani chegou ao poder em março deste ano após vencer, nas eleições, os partidos que apoiavam o general Pervez Musharraf, que renunciou em agosto após ter se retirado, no ano anterior, da Chefia do Exército.

Gillani e o presidente Asif Ali Zardari ofereceram à Índia toda colaboração para investigar o atentado de Mumbai, mas rejeitaram entregar os terroristas "foragidos" reivindicados pelo governo indiano, entre eles o chefe do LeT, Mohammed Said.

Após gestões da chefe da diplomacia americana, Condoleezza Rice, nesta terça-feira em Islamabad, Zardari prometeu que o governo atuará contra qualquer "elemento" paquistanês que se demonstre culpado do atentado na capital financeira da Índia.

As autoridades paquistanesas reiteraram que serão os tribunais do país que julgarão os supostos terroristas contra os quais a Índia entregar provas.

Leia também:


Leia mais sobre: atentados em Mumbai

    Leia tudo sobre: mumbai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG